✐ Estudos & Aprendizagem

19 coisas que aprendi aos 19 anos

Hoje, vinte de setembro, faço precisamente dezanove anos. É demasiado esquisito e assustador perceber que estou neste planeta que é apenas um grão de areia no ínfimo universo em que vivemos. Há quem diga que sou demasiado jovem para saber o que é a vida, mas também me dizem que já sou adulta e que devia saber o que é a vida. E eu sei o que é a vida mas sei que não sei totalmente o que é a vida. Então, aqui estão dezanove coisas que aprendi aos dezanove anos.

  1. As lengalengas e ditados são mesmo adequados e verdadeiros. Quando eu era mais nova pensava que isso era apenas para, de certa forma, “assustar” as crianças ou apenas para dizerem que ensinaram algo ou, até, apenas uma parvoíce. Não. Cada vez me apercebo mais que sim, estas frases feitas foram criadas com sentido e propósito. “Quem conta um conto, acrescenta um ponto.” “Grão a grão enche a galinha o papo.” “Quem tudo quer, tudo perde.”
  2. Tudo é temporário. As pessoas mudam. As prioridades mudam. Os sentimentos mudam. Então sim, as pessoas são substituíveis. Os pensamentos, os valores, as crenças acabam por mudar à medida que se vive e se cresce. Nada fica estagnado porque estamos em constante evolução. Há coisas que não vão voltar ao que eram… E está bom na mesma.
  3. Se quiserem, dão atenção. Não corras atrás da atenção ou carinho de alguém. Se a pessoa quiser saber de ti e se preocupar contigo, ela irá falar contigo sem suplicares. Se não tiver tempo, cria-o só para falar contigo. O silêncio e a ausência de alguém diz muito.
  4. Faz as coisas com bondade. Não se ganha nada em ser maldoso(a) para alguém.Na verdade, só se perde. Não é necessário seres bondoso(a) para receber algo de volta. Fá-lo apenas porque sim. Fá-lo porque alguém ficará feliz com a tua ação. Há quem me chame “boazinha demais” mas não é que eu esqueça o que me fizeram, só que é demasiado pesado para mim carregar a energia negativa que é a de não perdoar alguém. Eu perdoo por mim, não pelos outros.
  5. Está tudo bem em não estar bem. Sendo eu perfeccionista e tendo eu medo de mostrar emoções, tenho sempre a mania de fingir que está tudo bem, mesmo quando estou sozinha. Tento ignorar todos os meus pensamentos e sentimentos para poder concentrar-me na Universidade, em ajudar os outros, em tudo menos em mim. O problema é que depois de acumular tudo eu expludo e chego a ficar semanas sem motivação, sem vontade de interagir com ninguém, irritada por tudo e por nada. Isto tudo porque não me permito sentir quando preciso de sentir. Está tudo bem em chorar, em querer ficar sozinha, em não conseguir ajudar tudo e todos. Está tudo bem se um trabalho ou um teste correr mal. Nem tudo vai correr bem.
  6. O que não te desafia, não te engrandece. O ser humano tem muito a tendência de evitar, a todo o custo, a dor. Se algo custa ou demora a ser alcançado, desiste-se. Esquece-se que as coisas valem mais devido ao esforço depositado. Lutar pelo que se quer dá mais prazer quando se chega ao fim.
  7. Não procures consolo na tua razão de chorar. Um amigo disse-me isto no outro dia e não podia ter mais razão. Se alguém te magoou uma e outra vez, então não voltes para essa pessoa só porque tens saudades. Se alguém te magoou, não vai ser essa mesma pessoa que te vai ajudar a colar os pedacinhos que partiu.
  8. Diz mais vezes sim. Sai da tua zona de conforto e confronta os teus medos. Vive o máximo que puderes com o pouco tempo que tens neste planeta. Deixa a tua alma explorar. Aventura-te. Vale a pena, prometo.
  9. Diz mais vezes não. Talvez pareça contrariar o que disse anteriormente mas não. Como disse, lembra-te que não consegues ajudar toda gente nem fazer tudo. Há dias que te vai apetecer ficar na cama e apenas dormir, haverá dias que te vai apetecer dançar até o nascer do sol. Se não te apetecer fazer algo naquele momento, diz não. Se não quiseres falar sobre algo, diz não. Se a tua mente começar a negativizar todo o ser humano que és, diz não.
  10. Não deixes a tua criança interior desaparecer. Às vezes ponho-me a pensar e chego à conclusão que quem me vê na rua com os meus amigos deve pensar que sou uma criança, por causa de todas as palhaçadas e brincadeiras que faço. Sei que, legalmente, sou adulta mas, ao mesmo tempo, também me sinto uma criança que fica feliz por pequeninas coisas. E estou bem assim.
  11. Finge até conseguires. Quando li esta frase eu pensei “Pois claro, como é que isso é possível?”, mas a verdade é que resulta. Pensares em algo, imaginá-lo várias vezes, fingir que já o tens ou que já és assim, ajuda a conseguir chegar ao objetivo que queres cumprir. É como a Lei da Atração, tu tens aquilo que atrais, que pensas, seja negativo ou positivo.
  12. Faz o que gostas e gosta do que fazes. Isto é um cliché mas só realmente interiorizei isto recentemente, quando tive de escolher o que fazer depois do secundário. Os pais têm esta ideia de que os filhos têm de ser médicos e juízes para serem bem sucedidos e esquecem-se que o sucesso conquista-se se realmente gostarmos do que fazemos. Fui para o curso de Línguas e Literaturas Europeias e tenho a perfeita noção que não é bem visto como Direito ou Medicina, mas é o que eu gosto, é o que quero, e não podia estar mais feliz.
  13. Sê o(a) teu(tua) melhor amigo(a). Ouve os teus pensamentos e dá-lhes o devido valor. Sente o que tens de sentir, os teus sentimentos são válidos e tens o direito de te dar o tempo necessário para os explorar e para lidar com eles. Fala contigo da mesma maneira que falarias com alguém que gostes. Cuida de ti, trata-te bem. Faz o melhor por ti para que possas dar o melhor de ti.
  14. Espera. A vida é muito imprevisível e o destino surpreende-te com coisas que nem sequer imaginavas que fossem possíveis. Espera pelo momento certo, espera pela pessoa certa, espera pelo pôr-do-sol, espera que fiques melhor. Não apresses aquilo que deve levar o seu tempo.
  15. Cria as tuas próprias oportunidades. Apesar do ponto anterior, luta pelos teus objetivos. Não esperes que as coisas caiam do céu ou que vão ter diretamente a ti. Persiste. Crias as tuas metas e desenha os planos até as concluíres O teu futuro vale a pena ser produzido por ti mesmo.
  16. É preciso ir abaixo para apreciar estar em cima. Tentamos sempre esquecer o que de mal se passou connosco e de varrer para debaixo de tapete os nossos problemas e aflições. Tentamos sempre parecer positivos e ignorar por completo que há coisas que ainda não foram resolvidas e que não irão desaparecer até serem esclarecidas. Esquecemo-nos que isso não é o mais correto. Não devemos esconder que já tivemos em baixo porque foi isso que nos deu força e que nos fez estimar ainda mais o facto de estarmos em cima. Aceita o errado e usa-o para fazer o certo.
  17. Mesmo que dês o teu melhor, continua a não ser suficiente para a pessoa errada. A experiência própria fez-me aprender isto da pior maneira possível mas ainda bem. Eu podia ter dado tudo de mim e muito mais que não seria suficiente se a pessoa não o quisesse, não seria suficiente se fosse a pessoa errada. A pessoa certa iria aceitar nem que fosse 1/3 de mim.
  18. Tudo tem dois lados. Todas as histórias têm dois lados, todos os momentos tem dois lados, todas as pessoas têm dois lados. E é normal ser assim. O positivo versus o negativo. O bom versus o mau. A vida é o ying e o yang. É assim que a vida funciona. Temos de ter uma perspetiva alargada sobre tudo, caso contrário perdemos metade do que se passa.
  19. Ainda tenho muito para aprender. Aprender sempre teve um caráter negativo, visto que somos sufocados pela escola e pela pressão de sermos o melhor, por causa da universidade ser o nosso principal objetivo. O sistema educativo está tão empenhado em criar máquinas que sejam parecidas com o Google do que em criar seres humanos que tenham as bases de como sobreviver a esta humanidade sem humanidade. Ninguém nos ensinou como gostar de nós mesmos, mas todos têm o objetivo de nos ensinar que temos de crescer, trabalhar, casar, ter filhos e morrer. Pouca gente se apercebe de que o que se ensina na escola é apenas metade do que devemos saber. Mais do que estudantes, somos alunos da escola da vida. Aprender a amar, aprender a viver, aprender a ouvir e a falar, aprender a ser uma melhor pessoa. Aprender por vontade própria sobre a vida e sobre as matérias que nos querem ensinar.

Lê também

Sem Comentários

    Diz o que pensas! ;)

    %d bloggers like this: